. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
O que pode ser considerado crime na internet? - Malgueiro Campos Advocacia

O que pode ser considerado crime na internet?

Os crimes virtuais são aqueles em que ocorre a prática de uma conduta ilícita no ambiente digital, a partir do uso de tecnologias – geralmente computadores. Além disso, para saber se determinada conduta pode ser qualificada como crime, basta questionar se o ato praticado pelo agente na internet também é considerado típico, ilícito e culpável no “mundo real”.

Nesse sentido, existem algumas leis que tipificam os crimes na internet, dentre as quais podemos mencionar a Lei dos Crimes Cibernéticos (denominada Lei Carolina Dieckmann), o Marco Civil da Internet e a Lei Geral de Proteção de Dados. Todavia, é importante dizer que esses mecanismos ainda são considerados recentes e escassos para garantir a plena segurança do usuários frente aos ilícitos digitais.

De acordo com o portal do CNJ, duas leis relacionadas aos crimes na internet foram criadas em 2012, alterando o Código Penal e instituindo penas para crimes específicos cometidos no mundo digital.

A primeira, anteriormente mencionada, é alcunhada de Lei dos Crimes Cibernéticos (Lei 12.737/2012), que tipifica atos como invadir computadores (hacking), roubar senhas, violar dados de usuários e divulgar informações privadas (como fotos, mensagens etc). Apesar de ganhar espaço na mídia com o caso da atriz, o texto já era reivindicado pelo sistema financeiro diante do grande volume de golpes e roubos de senhas pela internet.

Os crimes da Lei de Crimes Cibernéticos que estão no Código Penal (artigo 154-A e art. 298) são: “Violar sistema de segurança (senhas, travas, sistemas de criptografia etc) para invadir computador, rede, celular ou dispositivo similar sem autorização (independente de estar ou não conectado à internet) para obter, adulterar ou destruir dados ou informações ou, ainda, para instalar vírus ou vulnerabilidades no dispositivo – a pena pode variar de três meses a um ano de prisão além do pagamento de multa;” Se, ao cometer o crime definido acima, o criminoso obter conteúdo de comunicações eletrônicas privadas (senhas, conteúdo de e-mails, mensagens, fotos etc), segredos comerciais ou industriais, informações sigilosas ou o controle remoto não autorizado do dispositivo invadido o crime é considerado mais grave – neste caso, a pena pode variar de seis meses a dois ano de prisão além do pagamento de multa; Se, depois de obter conteúdo sem autorização (fotos, senhas, e-mails, mensagens etc) o criminoso divulgar, vender ou transmitir os dados ou informações obtidos a qualquer pessoa – neste caso, aumenta-se a pena de um a dois terços.

Vale destacar, por fim, os seguintes exemplos de crimes cibernéticos:  fraude por e-mail e pela internet, fraude de identidades, roubo de dados financeiros ou dados corporativos, ataques de ransoware, criptojacking, espionagem cibernética etc.

Fonte: CNJ.

 

Start typing and press Enter to search

bens digitais imagemcaptura de tela 2021 11 17 001349