Como a tecnologia Blockchain tem sido aplicada à pandemia do Covid19

Empresas de todo o mundo contribuem durante a pandemia

Desde que a disseminação do novo coronavirus foi determinada como pandemia, cientistas de diversas áreas têm se dedicado a encontrar soluções. E, uma vez que empresas digitais hoje têm pouco a perder em relação àquelas tradicionais e essencialmente físicas, a tecnologia permite que o trabalho continue. Por isso, aquelas cujo foco está na blockchain têm movido esforços para ajudar principalmente a área médica na contenção do vírus e na descoberta de soluções.

Energia

Antes mesmo dessa pandemia a Folding@Home já tinha um projeto que reunia usuários de computador em todo o mundo que doassem a energia inativa da CPU e GPU para pesquisadores no estudo de doenças ainda sem cura. A energia doada hoje é usada pelos cientistas no processamento de soluções para o Covid-19.

Equipamentos

Federação Mundial da Cadeia de Suprimentos, a IBM e a Rapid Supplier Connect são parceiras no cadastro de cerca de 200 empresas de vestuário (hospitalar ou não) que concordaram em fornecer equipamentos de proteção individual para profissionais da saúde de forma a controlar a logística e a confiabilidade dos fornecedores desses EPIs por meio da Blockchain. Diferentemente do Brasil que já teve problemas no fornecimento de EPIs e outros equipamentos em diversos Estados.

Informação segura

A EY tem trabalhado a Blockchain como arquivo e consulta seguros dos resultados de teste de anticorpos das pessoas que foram expostas ao vírus, gerando uma espécie de “certificado digital de imunidade” para cada uma delas e que pode ser checado, em caso de necessidade, por seus empregadores e se o titular der consentimento. É o mesmo serviço oferecido pela brasileira Privacy Tools, que chama o registro pessoal e imutável de “passaporte de imunidade”.

Na China, a soma de outras tecnologias, como IA, tem ajudado a monitorar pessoas infectadas pelo Covid-19 e o faz respaldado pela sua política ditatorial. Já no Brasil, país onde a o direito à privacidade é garantido e validado pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (a vigorar em maio de 2021), o Governo de São Paulo tem aplicado o poder das telecomunicações de maneira controversa para monitorar a movimentação e aglomeração da população. Neste ínterim, a paulista Blockforce criou uma solução em Blockchain (que permite a proteção da identidade dos cidadãos) para controle desse tipo de dado sensível como é o histórico de doenças, por exemplo.

Pagamentos

A sul-coreana LG preparou um novo sistema de pagamentos por moedas digitais baseadas em blockchain para evitar contágio na manipulação de moeda física, cartões e maquinetas.

Doações

Mesmo empresas como FlowBtc e Status usam seus recursos de plataforma Blockchain para arrecadar doações em criptomoedas e doar a famílias em situação de vulnerabilidade em forma de cestas básicas ou valores em Reais.

Governo Digital

No Brasil, recentemente foram instituídas estratégias de transformação digital do Governo Federal no prazo de 2 anos com ações nas áreas de serviços, unificação de canais e operação de sistemas integrados utilizando, entre outras tecnologias, a Blockchain.

Além da Blockchain, IoT, Big Data, realidade aumentada, telemedicina tem expandido sua atuação no atual cenário. Se você trabalha com Blockchain ou outras tecnologias que hoje estão voltadas para resolução de problemas oriundos do novo coronavirus, conta pra gente! Compartilhe nas nossas redes sociais os esforços da sua empresa diante dessa crise.

O que você procura?

PRONAMPE