Por que se preocupar com a tecnologia 5G?

5G e proteção de dados
Com quatro bandas de frequência, o sistema 5G de telecomunicações que possibilita mais velocidade das conexões, deve ser iniciado no Brasil no próximo ano depois de passar por licitação que definirá quais empresas serão responsáveis pelo oferecimento desse serviço móvel.
O que deve preocupar os brasileiros sobre um serviço como esse vai além da alta capacidade de transferência de dados via dispositivos que facilitam nosso dia a dia, especialmente em smartphones que quase já não saem das nossas mãos.
O potencial dessa tecnologia poderá ser de até 1 mi de aparelhos por quilômetro quadrado conectados em alta velocidade e fazendo as máquinas trabalharem por nós.
Estamos falando da poderosa “fonte de alimentação” dos dispositivos inteligentes, a internet das coisas (IoT). A mesma que alimenta a Inteligência Artificial em smart cities e indústrias, a mesma que permite você ligar e desligar seus eletrônicos e eletrodomésticos à distância pelo celular via 4G, só que muito mais potente.
Segundo o canal Tecnoblog, existem empresas focadas na produção de chips e modens para monitoramento de segurança, rastreamento de bens e automação industrial, baseadas nos princípios da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e GDPR no exterior. E é nessa transparência e segurança nos serviços que virão que os brasileiros precisarão ficar atentos. Se as empresas que controlarão o 5G no País serão também responsáveis pela preservação dos dados pessoais que nelas circulam.
Atualmente, alguns países aliados dos Estados Unidos – incluindo o Brasil – estão trabalhando para afastar a possibilidade de compra e uso da tecnologia 5G produzida na China, acusada, mas não comprovada, tecnologia supostamente formatada para coletar dados pessoais e criar redes de espionagem.
Na contramão disso e dos escândalos já conhecidos ao redor do mundo sobre gigantes da internet e governos que usaram dados pessoais para formatar estratégias políticas e coordenar manipulação de massas, está acontecendo um esforço de diversos países para evoluir com tal tecnologia sem comprometer o dados de bilhões de indivíduos.
Se você ainda não sabe quais os princípios da LGPD e as responsabilidades das empresas que coletam e tratam dados pessoais, baixe aqui nosso conteúdo gratuito.
Lembre-se que a LGPD entrou em vigor em 18 de setembro de 2020! E, apesar das sanções só valerem em 2021, essa lei reforça direitos individuais e do consumidor já existentes.

O que você procura?

Senado avalia prorrogação da entrega do IR por 3 mesesLei Complementar 1752020