Blockchain pode ser utilizado para ajudar a criar uma espécie de identidade médica de pacientes que seja centralizada, contendo todo o seu histórico médico de forma acessível a todos os autorizados a visualiza-lo, contendo receitas e toda a documentação clínica de um paciente, podendo ser compartilhado com toda a equipe médica e otimizando os cuidados médicos que podem ser oferecidos.

Os desafios são iniciar este sistema de forma centralizada e padronizada, para que seu uso seja amplo o suficiente para aproveitamento dos benefícios. Além disso, desde 1998 o governo dos EUA proíbe investimento federal em criar um sistema único de identificação de pacientes por razões de segurança – o que talvez possa ser revertido com as soluções de segurança oferecidas pelo blockchain.

Fonte: Healthcare IT

O que você procura?