Orquestre sua empresa com maestria e colha bons negócios.

Em nossas experiências diárias com gestores de startups, pequenas e médias empresas, colhemos algumas dicas importantes de como vencer os desafios da gestão de atividades administrativas no dia a dia empresarial.
Julgamos esses aprendizados muito úteis e por isso decidimos compartilhar com vocês esse know-how adquirido no dia-a-dia consultivo junto aos nossos clientes.
1. Gestão de pessoas:
Além de todo o trabalho burocrático de gestão de folha de pagamentos, horas trabalhadas e recolhimento de impostos, que já tomam boa parte do tempo, gestores de talentos precisam também motivar, incentivar e garantir que o colaborador esteja alinhado com a cultura da empresa.
A dica é manter-se atualizado sobre como promover um bom clima, utilizando ferramentas de incentivo e comunicação organizacional que sejam efetivas para os objetivos do negócio.
2. Organizar as finanças:
Manter as finanças sob controle é fundamental para garantir eficiência organizacional para geração de caixa e manutenção da saúde financeira da empresa. Empresas bem-sucedidas no mercado olham esse que, talvez, seja um dos principais termômetros do rumo que a empresa está tomando para o seu futuro e manutenção no mercado.
Mas analisar informações como faturamento, custos, fluxos de caixa, perdas e ganhos e investimentos de forma estratégica, exige um grande esforço e, muitas das vezes, o auxílio de profissionais especializados, pois essa análise vai fundamentar quase que a totalidade das decisões tomadas pela empresa.
3. Atendimento ao cliente:
Estruturar a área de Atendimento ao Cliente é fundamental no estabelecimento de um fluxo para gestão dos contatos, desde o início do relacionamento do cliente com você e seu negócio.
Gerenciar as expectativas e garantir um atendimento que reflita às necessidades do cliente é o grande desafio encontrado pelas empresas.
Sabemos que um bom atendimento fideliza e gera valor ao longo do tempo, mantendo o cliente em sua carteira por mais tempo.
4. Equipe comercial e vendas:
Nenhuma empresa sobrevive sem vendas, dessa forma, essa é uma área chave para o sucesso de qualquer negócio. O processo de vendas é complexo e exige conhecimento do mercado, do cliente, de necessidades não atendidas e de oportunidades para ofertar produtos e serviços adequados aos potenciais compradores certos. Além disso, cada vez mais o papel do vendedor deve ser consultivo e ele deve ter interesse genuíno em solucionar o problema do cliente, e não apenas “empurrar um produto ou serviço”.
5. Gestão de parceiros e fornecedores:
Com a assinatura dos contratos com parceiros e fornecedores, pode parecer que está tudo resolvido, mas isso não é verdade. Começa, nesse momento, a fase de gestão do contrato, cujo objetivo é garantir sua adequada execução por parte de terceiros. Além disso, é importante controlar questões contratuais importantes, como vencimento, pagamentos, reajuste, cláusulas suspensivas, dentre outras.
6. Inovação:
Muitas vezes a inovação é tida como um privilégio apenas de grandes empresas e multinacionais, mas aí é que se engana o pequeno e médio empresário. O mercado está cada vez mais ávido por melhorias e mudanças em produtos, processos e serviços, que facilitem a vida das pessoas e, o melhor, disposto a pagar por praticidade e solução. Por isso, é importante criar e disseminar políticas internas de incentivo à inovação e à propriedade intelectual, o que beneficia a empresa e aos colaboradores.
7. Gestão de projetos:
Poucas empresas tem gerentes de projeto, que são profissionais responsáveis por determinar diretrizes para otimizar e criar mecanismos de controle para dar a máxima eficiência a projetos, tanto em termos de custo, tempo de produção e gestão de recursos para garantir que um escopo (o produto final do projeto) seja cumprido e o projeto seja bem-sucedido.
Fique atento para não desperdiçar recursos e aumentar a possibilidade de geração de receitas para sua empresa.
8. Gestão de marketing:
Foi-se o tempo que marketing era uma ferramenta mercadológica só para grandes anunciantes. A internet criou inúmeras possibilidades (e também desafios) para levar a mensagem de seu produto ou serviço para o público certo. A atividade de marketing exige grande dedicação de pesquisa de mercado, análise da concorrência, tendências de produtos e serviços, comportamento dos consumidores, comunicação em mídias pagas e não pagas e estabelecimento de metas de retorno, o chamado ROI, em inglês, “return on investment”, ou retorno sobre o investimento.
Construir uma marca e gerir sua reputação é um trabalho contínuo, instigante e que exige talentos para gerir suas atividades.
9. Gestão de estoque:
Se você trabalha com comercialização de produtos, fazer uma gestão estratégica do estoque é fundamental para o sucesso do negócio. Produzir a mais ou a menos em relação a demanda é um problema, pois não atende plenamente o mercado ou você terá produtos encalhados e produto parado é dinheiro.
Gestão de processos e estabelecimento de procedimentos e rotinas, com alto grau de supervisão, parece ser o segredo de uma boa gestão destes itens.
10. Capital intelectual:
Capital intelectual é a soma do capital humano e estrutural de uma empresa. Pode ser definido como sendo a inteligência, a habilidade e os conhecimentos humanos. Esses conhecimentos podem ser tácitos – advindos das experiências ao longo da vida, ou explícitos – estruturados, criptografados e armazenados, sendo possível sua transmissão a outras pessoas.
Por isso, a segurança das informações de uma empresa as transforma em segredo de negócio, capital intelectual da empresa que constitui um grande diferencial competitivo, tornando sua atuação única no mercado.
No capitalismo, a disputa por talentos se dá em grande parte por adquirir, manter e ampliar conhecimento organizacional, gerando expertise e criando diferencial de mercado em relação aos concorrentes.
11. Tecnologia:
A velocidade de criação e implementação de novas tecnologias no Brasil e no mundo acontece numa velocidade estonteante, mas a boa notícia é que a tecnologia está cada vez mais amigável e acessível a todas as empresas.
Com o mundo de negócios cada vez mais online, utilizar a tecnologia permite um ganho de produtividade e escala jamais imaginado há cerca de uma década atrás. Colocar a tecnologia a serviço do seu negócio permite otimização de atividades, ganho de tempo, agilidade e informações mais apuradas para a tomada de decisão.
12. Governança corporativa:
Os chamados Stakeholders, ou grupos de interesse em um negócio (acionistas, consumidores, imprensa, fornecedores, parceiros, comunidade), influenciam cada vez mais no formato como as empresas realizam seus negócios e atraem investidores ou compradores.
Mecanismos de controle são cada vez mais necessários para gerar transparência do negócio a acionistas, parceiros, fornecedores, clientes e mercado financeiro, para assegurar o chamado compliance, que é a adequação ao conjunto de normas legais e regulamentares, políticas e  diretrizes estabelecidas para as atividades da empresa, bem como evitar, detectar e tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer. O mercado está cada vez mais empenhado em fazer negócios com empresas socialmente responsáveis, éticas e que contribuam para o ambiente de negócios de forma saudável e perene.
Os aprendizados aqui apresentados contribuem para um entendimento mais global e profissionalizado da gestão das empresas. A escolha de parceiros estratégicos para o seu negócio não se trata apenas de uma questão de custos, mas uma possibilidade de trabalho conjunto que gere valor e ajude a pensar em soluções para seu negócio.
Bons negócios para sua empresa!
Emília Malgueiro Campos

Start typing and press Enter to search

blog 6a09974 1ddc9c181e4b42df8e3985e3b1b836e2mv2